Você está aqui: Página Inicial > Imprensa > Notícias > Força-tarefa é promovida entre ministérios para combate à tuberculose no sistema prisional do Brasil

Notícias

Força-tarefa é promovida entre ministérios para combate à tuberculose no sistema prisional do Brasil

publicado: 06/06/2018 16h35 última modificação: 06/06/2018 16h35

Brasília, 06/06/2018 - Nesta quarta-feira (06), foi lançado o projeto “Apoio ao desenvolvimento de ações em saúde para a comunidade carcerária com foco na tuberculose”, fruto da cooperação técnica entre o Departamento Penitenciário Nacional vinculado ao Ministério Extraordinário da Segurança Pública - Depen/Mesp; Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Tuberculose – CGPNCT; vinculada ao Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde/MS e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Os objetivos são ampliar e reproduzir campanha de educação em saúde para a comunidade carcerária, com o intuito de dar visibilidade para as questões de tuberculose no sistema prisional, sensibilizar para o diagnóstico precoce e tratamento oportuno e diminuir o preconceito relacionados à doença.

Vale salientar que a tuberculose (TB) continua sendo um importante problema de saúde mundial, exigindo o desenvolvimento de estratégias para o seu controle, considerando aspectos humanitários, econômicos e de saúde pública. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil ocupa a 20ª posição na lista dos 30 países prioritários para TB e 19º na lista dos 30 países prioritários para TB-HIV.

Segundo Carlos Felipe Alencastro F. de Carvalho, diretor-geral do Depen, a ação é importante, uma vez que visa a integração entre ministérios que tem como objetivo comum o controle da tuberculose no sistema prisional. “O desenvolvimento dessa ação propicia que sejam elaboradas estratégias inovadoras, contribuindo para o diagnóstico precoce e o seu devido tratamento”, salientou.

Quais as prioridades do projeto?

Essa ação tem como prioridade a utilização de estratégias de educação em saúde entre pares, a partir de campanha de comunicação dirigida à comunidade carcerária (familiares, profissionais da saúde e segurança e Pessoas Privadas de Liberdade), com o objetivo de reordenar a rede a rede de atenção à saúde com o objetivo de diagnosticar e tratar precocemente todos os casos suspeitos de TB identificados na comunidade carcerária.

Qual a abrangência da campanha?

A campanha será produzida para toda a comunidade carcerária do país e terá intervenções de educação em saúde e organização da rede de atenção à saúde em 75 unidades prisionais prioritariamente porta de entrada para o sistema prisional, com representação nas 27 unidades federadas do país.

Quando iniciam as atividades do projeto?

 A partir de um diagnóstico situacional das ações de tuberculose implementadas intramuros, o plano de execução e pactuação do projeto está sendo finalizado para a execução nos territórios. Posteriormente ao lançamento da campanha, oficinas regionais serão realizadas com os municípios elencados e a rede de atenção para pactuação e organização dos fluxos de trabalho.

Serviço de Comunicação Social do Depen