Você está aqui: Página Inicial > Imprensa > Notícias > Comunidade Carcerária será foco de ações em saúde para controle da Tuberculose em todo o Brasil

Notícias

Comunidade Carcerária será foco de ações em saúde para controle da Tuberculose em todo o Brasil

publicado: 05/04/2018 16h06 última modificação: 05/04/2018 16h07

Brasília, 05/04/2018 - A Tuberculose (TB) continua sendo um importante problema de saúde mundial, exigindo o desenvolvimento de estratégias para o seu controle, considerando aspectos humanitários, econômicos e de saúde pública. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil ocupa a 20ª posição na lista dos 30 países prioritários para TB e 19º na lista dos 30 países prioritários para TB-HIV. Esta doença está diretamente ligada à vulnerabilidade social, de forma que existem populações com maior risco de adoecer devido às condições de vida e saúde as quais estão expostas como, por exemplo, a População Privada de Liberdade (PPL). Em 2017, a PPL contribui com 10,5% dos novos casos de tuberculose notificados no Brasil. Nessa população o risco de adoecimento por tuberculose é 28 vezes maior que na população em geral.

Diante deste cenário, por meio de um Cooperação Técnica, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), a Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Tuberculose – CGPNCT e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estão desenvolvendo o projeto denominado “Apoio ao desenvolvimento de ações em saúde para a comunidade carcerária com foco na Tuberculose”. Tal projeto tem como prioridade o desenvolvimento de estratégias de educação entre pares, a partir de campanha de comunicação dirigida ao diferentes públicos que circulam no sistema prisional: familiares, profissionais da saúde e segurança e PPL. Além disso, preconiza o apoio a organização da rede de atenção à saúde com o objetivo de diagnosticar e tratar precocemente todos os casos suspeitos de tuberculose identificados na comunidade carcerária.

A campanha terá abrangência nacional, no entanto 75 unidades prisionais identificadas como porta de entrada do sistema prisional, selecionadas a partir de indicadores de TB e critérios relacionados ao efetivo carcerário, receberão intervenções in loco destinadas aos diferentes públicos-alvo da campanha. O plano de execução do projeto está sendo finalizado e tem lançamento nacional previsto para maio de 2018.”

 

Serviço de Comunicação Social - SECOM