Você está aqui: Página Inicial > Imprensa > Notícias > Agentes federais da PFCG são treinados pelo Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento - PARASAR

Notícias

Agentes federais da PFCG são treinados pelo Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento - PARASAR

publicado: 01/03/2019 14h41 última modificação: 01/03/2019 14h41

Brasília, 01/03/2019 - Com o objetivo de qualificar os agentes federais de execução penal - lotados na Penitenciária Federal em Campo Grande (PFCG) - a prestarem autossocorro, bem como assistir aos companheiros feridos em combate, oficiais do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, mais conhecido como PARA-SAR, da Força Aérea Brasileira, ministraram o Curso de APH Tático em Combate (Atendimento Pré-Hospitalar).

Nessa perspectiva, o 1º subtenente médico da Força Aérea Brasileira e docente do curso, Felipe Domingues Lessa, destaca a principal meta dos ensinamentos: “Além de deixar o agente apto a socorrer, nosso objetivo mais importante é graduar alguém, de fora da área de saúde, a combater hemorragias no operacional atingido”, pontua.

O agente federal Gameiro, responsável pela organização do curso, destaca que o propósito desse ensinamento é difundido internacionalmente. Segundo ele, Forças de Segurança de diversos países se preocupam com este tema e almejam implantar tais lições em suas corporações.

Gameiro, que também é chefe substituto do Núcleo de Ensino e Operações da PFCG (NEOP), bem como integra o Grupo de Ações Penitenciárias PFCG (GAEP), conta que percebeu, nesta primeira edição do curso, um feed back positivo por parte dos colegas participantes: “Veio à tona a necessidade dos agentes se equiparem e, por isso, cada operacional comprou um kit de APH básico para fins de precaução”, revela.

Nessa lógica, o agente federal Gabriel destaca o repasse de novos conhecimentos e técnicas a fim de conter hemorragias e, consequentemente, salvar vidas de colegas. “Aprendemos, por exemplo, como lidar com um sangramento massivo, como estancar um ferimento etc. Ademais, ficou muito claro que as hemorragias simples, caso não tratadas a contento, podem levar um combatente à morte”, adverte.

Para o agente federal Pires, o qual possuí diversas qualificações em seu currículo nesta área de salvamento e de assistência, os ensinamentos são bastante amplos: “Entre os cursos dos quais já participei este é o mais completo. Contribui para isso o grande know how do qual o professor Felipe dispõe”, explica.

Próxima edição e ficha técnica

Ante ao grande interesse no curso, demonstrado pelos agentes federais, os organizadores estimam que no mês de maio de 2019 haverá a segunda edição, também nas dependências da PFCG.

O curso tem carga horária de 30 horas e foi realizado na PFCG entre os dias 25 e 27 de fevereiro. Esta edição precursora registrou cerca de 35 agentes federais matriculados e um agente penitenciário estadual (COPE).

Por fim, a organização do evento ressalta o currículo do docente Felipe Lessa - como quesito qualitativo - o qual figura como um dos cinco melhores professores do Brasil, neste âmbito. O professor é um dos 1700 médicos da FAB e possui especialidade em cirurgia ortopédica. O militar faz parte da corporação há mais de 16 anos e comandou o resgate aéreo do Voo Gol 1907 – o qual caiu após se chocar com o jato Legacy em Mato Grosso – e integrou a equipe que trabalhou nas enchentes em Santa Catarina em 2008.

Serviço de Comunicação Social do DEPEN (Créditos: Munyz Arakaki)