Você está aqui: Página Inicial > Curso de Inteligência Penitenciária é ministrado aos órgãos de segurança na Bolívia

Notícias

Curso de Inteligência Penitenciária é ministrado aos órgãos de segurança na Bolívia

A capacitação já é uma ação da Rede de Cooperação Penitenciária do Mercosul e Estados Associados (REDCOPEN), que tem como objetivo facilitar o intercâmbio seguro de dados e informações penitenciárias
publicado: 03/06/2019 15h52 última modificação: 03/06/2019 16h51

Brasília, 03/06/2019 - Nesta segunda (03), iniciou o 56° Curso Básico de Inteligência Penitenciária – CBIPENO ofertado a outros órgãos de segurança pública, promovido pela Escola Nacional de Serviços Penais - Espen, do Departamento Penitenciário Nacional – Depen, com apoio de representantes brasileiros cedidos pela Polícia Federal e pela Embaixada Brasileira, na Bolívia.

O curso visa conhecer ações específicas da área de Inteligência Prisional; ampliar o conhecimento teórico, harmonizando a teoria com a prática; uniformizar os procedimentos e documentos de Inteligência no âmbito dos Sistemas Prisionais; otimizar as relações interpessoais, com ênfase no trabalho em equipe; e, vivenciar e aplicar técnicas no desenvolvimento das ações da atividade de inteligência, ainda, aprimorar as cooperações entre Brasil e países vizinhos.

Vale lembrar que é o segundo CBIPENO internacional. No início do ano, foi realizado o primeiro curso no Paraguai e até o fim deste ano, está programada a mesma capacitação na Argentina.

Essa ocasião contou, ainda, com a presença de Octávio Henrique Dias Garcia Côrtes, embaixador do Brasil na Bolívia, também com a participação de policiais adidos do Chile e da Argentina.

A capacitação segue no decorrer desta semana e já é uma ação da Rede de Cooperação Penitenciária do Mercosul e Estados Associados (REDCOPEN), que tem como objetivo é facilitar o intercâmbio seguro de dados e informações penitenciárias para prevenir que presos deem ordens para crimes de dentro das cadeias, combater organizações criminosas em presídios e combater a criminalidade transnacional.

Serviço de Comunicação Social do Depen